Discussão 1 - Religião

Olá a todos!

Na semana passada lembrei-me em criar aqui no blog um espaço onde pudesse existir mais interacção com vós, caros leitores. Assim, decidi criar uma discussão semanal, às segundas-feiras, e tal como já havia, um espaço de ecologia, às quintas-feiras.

O tema desta semana é: Religião.
Por definição, religião é o culto prestado à Divindade. Assim, pergunto-me como terá surgido a ideia de algo superior a nós ou sobrenatural, capaz de mover milhões e de criar expectativas na Humanindade de que existe um poder para além do compreendido que nos atormenta ou acolhe.

É um facto que muitos cientistas, historiadores, etc, têm teorias para a origem da Religião, e claro, também eu tenho a minha (que vale o que vale).
Para mim, ateu, não existe um Deus nem um poder para lá do senso comum. Porquê? - perguntarão vocês.
Simplesmente, porque para mim, a Religião nasceu como forma de dar-mos um nome ou forma ao que não conseguiríamos compreender, de maneira a que não fossemos levados à loucura. Nos tempos primórdios, o simples facto de um raio de uma trovoada atingir o solo, era algo inexplicável, então os seres humanos atribuíriam tal feito a um poder místico. À medida que as civilizações foram sendo formadas, massas congregaram-se e chamaram "Religião" a todo um conjunto de crenças e rituais, dando um rosto (ou vários, no caso das religiões politeístas) a essa irmandade.

Para mim foi assim que se criaram as diversas religiões por todo o Mundo, cada uma contando a História à sua maneira. Mas o que agora quero saber é a vossa opinião em relação a este assunto. Deixem os vossos pensamentos nos comentários em baixo :)

Fiquem bem e ...Até à próxima!

5 comentários:

Bartolomeu Silva disse...

Boas,
Após que este tema já terá um tempão, mas depois de ler, não resisti em comentar.
Sou Cristão, fui pre-seminarista e acólito, apesar disso tenho uma opinião muito própria sobre o que é religião e como deveria ser encarada. Por isso respeito a tua opinião assim como a de qualquer pessoa. Acontece que sou um tipo muito racional, para mim tudo tem de ter alguma lógica e é bem analisado. Então posso dizer que acredito que Cristo existiu, apesar de não seguir, usando um termo que vem mesmo a calhar, "religiosamente" tudo o que diz a Igreja Católica. Não considero que a minha maneira de pensar e viver a religião seja a única correcta, pois até continuo a ter as minhas dúvidas em certos pontos.

Mas gostaria de te deixar 2 perguntas:

Para ti, não existe um Deus nem um poder para lá do senso comum. Mas acreditas que tens alma?

Para ti, a Religião nasceu como forma de dar-mos um nome ou forma ao que não conseguiríamos compreender. Essa é a opinião que muitas pessoas têm, eu diria a maioria. Mas não será que a verdadeira razão da criação de uma religião é apregoar uma doutrina?

É um tema que considero interessante e que dá muito que pensar e falar!

Abraço

Deep Sea Master disse...

Tens um bom ponto de vista. No entanto, a opinião que possuo, a meu ver não é a que a maioria das pessoas tem. Com quem tenho falado, a opinião maioritária converge para "Acredito no meu Deus".
Em relação à questão da alma, devo dizer que foi um assunto que, realmente, nunca pensei. Por isso vou deixar a questão em aberto para uma possível futura discussão.
De certa forma, a religião pode sim ser vista como uma doutrina, no entanto, nem toda e qualquer pessoa está preparada psicologicamente para se regir por esses princípios, pois tal como uma pessoa minha conhecida argumenta: "A religião pode ser uma completa lavagem cerebral". Daí que apenas pessoas com certa lógica e racionalidade estão aptas a seguirem certa religião. Sem com isto querer dizer, obviamente, que a Igreja deveria possuir um sistema de pré-requisitos.

Abraço.

Liliana disse...

Se me permitem entrar conversa, concordo numa única frase do Bartolomeu (epá gostei do teu nome…soa a nome de santo ou padre). .Concordo no ponto em que consideras-te a existência de uma força superior.
Por uma parte da família sou considerada como descrente, por outra levo-os a pensar que talvez não seja estúpida de todo. Tenho um pouco de receio no que penso e sobre o que penso, porque sou daquele género de pessoas que não me limito a seguir isto e aquilo só porque toda a gente o faz, e por isso mesmo sempre fui muito descrente em certas teorias, e até porque a minha vida sempre proporcionou a que cada vez mais o fosse.
É-me difícil conseguir acreditar ainda mais em Deus, pelo simples facto de eu perguntar a algumas pessoas o porquê de elas acreditarem, e estas não me saberem responder e apenas me dizem que foram educadas assim.
Acho que Deus é para as pessoas o tal Salvador que irá ajudar os crentes e condenar aqueles que praticam o mal, etc. E que se nos portar-mos mal vamos arder no inferno…
Para mim (eu que sou uma pessoa que gosta de alguma ciência na vida) Deus é um símbolo, é uma forma de fé a que lhe deram nome de Deus. E o que é FÉ para mim? É algo que nos dá alento á vida… algo em que acreditar… uma força que nos liga neste Mundo. Acredito que as pessoas se refugiam em Deus para que tenham esperança, para que acreditem que há algo mais do que a terra onde possam estar… o que por um certo lado é bom que acreditem…Pois para mim é um tormento pensar que irei construir uma vida…um trabalho…família e depois pensar que daqui a uns anos morrerei e não irá haver mais nada… é aterrador.
Deus poderá não existir…mas acho que a fé que alguns cristãos demonstram ter não faz mal a ninguém…Esta fé que move montanhas é o principal, é aquilo em que se deve acreditar…Deus não é o importante, o importante é que estejamos todos unidos nesta caminhada que é a vida.
E se Deus existir deverá ser esse o seu intuito, que estejamos unidos. E não que nos critiquemos uns aos outros por sermos mais ou menos crentes.
Não disse algumas coisas de que gostaria de ter falado… mas se surgir uma evolução da conversa. . .falarei.

Deep Sea Master disse...

Concordo quando dizes que o que importa é estarmos unidos. No entanto, falaste na Fé, pelo que tu sugeres, a Fé não é mais nem menos que pura força de vontade, e para isso não tem de existir uma Divindade que nos diga "luta! esforça-te!", porque essa vontade tem de partir de nós mesmos. No entanto quando afirmas que é reconfortante pensares na possibilidade de uma vida depois da morte ou num outro lugar, e ficas atormentada pela ideia de todo o teu esforço durante a tua vida ter sido em vão, deixa-me dizer-te que isso é uma pura falácia: deixas família, legado, deixas as tuas decisões, quer tenham sido boas ou más. Desde que mantenhas uma atitude activa durante a vida, existirá sempre algo que deixarás quando morreres.

Abraço

Bartolomeu Silva disse...

Já não me lembrava deste assunto. O que eu vim desenterrar numa tarde Sábado :s

Concordo com praticamente tudo o que disse a Liliana. Só dizer que inferno só o tem quem o cria, e não tem nada a ver com o diabo nem com fogueiras, se é que me fiz entender.
Realmente acho que realmente acho que a união das pessoas é importante. Essa união é resultado do amor (cuidar, preocupar-se com os outros, querer o melhor para eles....). E para mim Deus é esse amor. Então chego à conclusão que Deus é importante. Entendo que muita gente não tem essa opinião, pois talvez na altura em que tinham a minha idade, não teriam a liberdade para pensar de outra forma senão da que foram educadas. Ainda bem que os tempos trazem evolução.
Em relação ao que disse o Vasco, acho que Fé é muito mais que força de vontade. A crença é na mente. A Fé é a crença do coração. Quando vais a luta por um futuro melhor para ti e para os teus e acreditas que o vais conseguir porque o merecem e porque está aí para ti, isso é Fé, para mim. Há muito boa gente que não passa da força de vontade.
E sim, devemos cuidar o legado que deixamos. Deveremos sempre de transcender, ao cruzar com a vida de uma pessoa conseguir aportar algo de bom para ela e que a sua vida seja melhor por isso.

Abraço

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...